[FP] Donovan, Charlie - Audácia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Donovan, Charlie - Audácia

Mensagem por Charlie Donovan em Dom Abr 14, 2013 11:32 pm


Charlienger Rose Donovan
17 anos
Audácia
tatuadora; ajudante da Nyx na área de controle dos computadores
Charlie e Cabeça
Ellen Christine Donovan
William Donovan
Chloë Grace Moretz
Nunca sentiu-se encaixada em lugar algum. Talvez o problema fosse com o meio, no caso, a Franqueza. Talvez o problema fosse com a família devastada que a garota possuia. Talvez fosse só a mente diferente que Charlienger era obrigada a conter. Jamais ousou pensar em voz alta, conhecendo bem sobre a forma de punição àqueles que desacatavam as ordens de sua facção, nunca quis ser julgada por simplesmente não ser como os outros. Detestava isso mais do que tudo. Nasceu numa madrugada muito fria do mês de Janeiro. Pequena demais, o bebezinho parecia que jamais suportaria o mundo exterior, mas superando todas as expectativas médicas, Charlie conseguiu sobreviver, mas levou consigo a vida da mãe, a sanidade do pai e todo o respeito da irmã. Só quando estava com dois meses de vida é que pode ser levada do hospital para casa, mas tudo já estava mudado, devastado e bagunçado. Ellen, que morrera no parto para dar a vida a sua filha, já não passava de uma triste lembrança. William estava desolado com a morte da esposa e consequentemente, Amber, a filha mais velha, odiava a irmã mais nova por achar que essa era a culpada por não ter mais a mãe consigo. Charlie era constamente motivo de discussão dentro de casa, e mesmo com a pouca idade, várias vezes sentia que não era bem-vinda na vida de seus próprios familiares.

Apesar de todo o sofrimento encarado constantemente, era uma menina gentil, sorria às vezes, extremamente inteligente e atenciosa, sempre tentava fazer tudo da melhor maneira. Mas, nunca parecia estar bom. Conforme os anos passavam, Charlie tornou-se uma bomba relógio, guardava tudo para si e estava a ponto de explodir. Já não aguentava mais ter toda a culpa recaída sobre seus ombros, não aguentava mais ouvir o pai chorando durante a noite ou a irmã lhe lançar ofenças durante o jantar, viver naquela casa estava se tornando um verdadeiro inferno. Tanto, que Charlie não mais dormia, pouco comia e se afastava cada vez mais do seu vasto núcleo familiar. Tinha treze anos quando aproximou-se de Angie, uma simpática garota de cabelos cor-de-rosa que era da Audácia. Angie era Angélica, uma jovem de quinze anos com piercing no nariz que tinha uma risada contagiante e que fazia Charlie se sentir bem. A amizade das duas era praticamente inaceitável, só se viam na escola, e conversavam quando não estavam em locais muito públicos. Mesmo com toda a dificuldade de se relacionarem, Angie ensinou muitas coisas para a amiga, como empunhar uma arma de fogo, uma faca e até mesmo lutar. Nesses momentos, quando estava com Angie, Charlie sentia que sua raiva e desgosto ficavam em segundo plano e que ela podia sentir o leve gostinho do que era ser feliz. - Você devia escolher a Audácia - Angie dizia, mas Charlie nunca teve certeza de nada, aliás, pouco pensava sobre a Cerimônia de escolha. Ou pelo menos, tentava não pensar.

Amber deixou a Franqueza assim que pode, ingressando na Audácia, deixando para trás um pai maluco e uma irmã solitária. Agora, Charlie estava praticamente sozinha. William adoeceu e já não podia mais trabalhar, o sustento da casa ficou por conta de Charlie, que se desdobrava, fazendo pequenos serviços para os vizinhos para conseguir manter as contas pagas. E cada vez mais ela sentia que iria explodir caso não se libertasse daquele pesadelo. Três anos depois, em seu teste de aptidão, surpreendeu-se ao saber que era Divergente. Assustada e confusa, foi orientada a manter segredo sobre o que vira no teste e todo o resto, jamais poderia comentar com qualquer pessoa que tinha aptidão para Audácia e Erudição. Pouco sabia sobre o que era ser Divergente, mas tinha certeza que não era nada bom. Na Cerimônia de Escolha, deixou seu sangue nas brasas e escolheu a Audácia, como prometera à Angie que um dia, se tivesse coragem, faria. William faleceu dias após a filha ter deixado a Franqueza. Charlienger passou a ser conhecida por todos somente como Charlie. Durante todo o processo de treinamento, ela conseguiu se misturar sem se destacar muito, mas não demorou até que os instrutores notassem que aquela garota pequena tinha um potencial gigantesco. Talvez, porque ela já soubesse um pouco de tudo o que eles ensinavam. Teve facilidade em atirar, em lutar, em saltar... Com seu 1.65 de altura, a garota era ágil nas lutas, rápida nas corridas, saltava como um atleta e aterrissava como uma felina. Seu raciocínio era sempre rápido, enquanto alguns estavam tentando descobrir onde se encaixavam tal coisa, lá estava Charlie, com tudo montando, passando para o próximo exercício. Fez inimigos lá dentro também, Vasques e Green eram os piores. Vasques (Vasques era sobrenome, sabe-se que seu nome era Sophie) era uma garota de cabelo repicado, com mechas azuis, que sempre machucava Charlie nas lutas, já Green era um garoto enorme, musculoso e abusado, que sempre tentava encurralar a menina para buliná-la. Era terrível!

Conforme os iniciandos iam se aproximando do final, Charlie conseguiu se livrar de Vasques, que desistira após ter sido humilhada na cantina, na frente de todos (teve suas calças abaixadas por uma integrante da Audácia). Já Green, por incrível que pareça, tornou-se um grande aliado de Charlie. Após a amizade de ambos ter nascido em meio a um tiroteio com balas de borracha, ambos acreditam que não poderia ter sido melhor. O resultado final de tudo foi Charlie em segundo lugar, perdendo apenas para seu amigo Green, da Erudição. - O seu nome não é Green. - Ela falou, num momento em que conversavam sozinhos no dormitório, pouco antes do resultado final. - Não é mesmo, é Jonathan. Alguns me chamam de Johnny. Green é sobrenome, assim como a Vasques. - Até aquele dia, Charlie jamais topou com a irmã dentro do complexo da Audácia e acabou acreditando que ela tinha se tornando uma sem-facção, já que ninguém ali conhecia alguma Amber. Após receberem os resultados finais, Charlie, Green, Susie, Troy e Batata foram selecionados para uma missão nos arredores do complexo. Charlie não conhecia Batata. Uma garota de cabelos loiros, magra e alta, vestindo calça jeans surrada, tênis e jaqueta de couro aproximou-se, observando-a. - Jamais pensei te ver aqui, Charlie. - Batata era na verdade, sua irmã, Amber (mais tarde, Charlie descobriu que Amber adorava batata frita, por isso ganhou o apelido) que não via há quase quatro anos. - Vamos ver se consegue fazer tudo o que dizem... - E eles partiram. Na verdade, aquilo não era uma missão, Batata quis pregar uma peça nos recém chegados à Audácia e o trote era quase um suicídio. Uma luta contra a própria Batata em cima do trem. Em movimento. Ninguém aceitou, é claro. Até que Charlie levantou a mão, dizendo: - Eu vou.

A luta entre as irmãs Donovan durou aproximadamente dez minutos, mas não acabou como esperado. Charlie levou uma forte pancada no rosto e perdeu o equilíbrio, despencando de cima do trem. A queda foi feia, a garota bateu a cabeça e perdeu muito sangue. Duas semanas em coma e o risco de não sobreviver. Mais uma vez, Charlie superou as expectativas médicas e abriu os olhos para o mundo. Ganhou o apelido de Cabeça, por ter batido o crânio ao cair do trem, mas ter sobrevivido. Amber não mais mostrava ódio pela irmã mais nova, ficara preocupada, sentindo-se culpada por ter machucado-a tão gravemente. A personalidade de Charlie mudou um pouco após o acidente. Ela passou a ter oscilações de humor e às vezes ficava meio perdida. Porém, o acidente ajudou que ela conseguisse se expressar melhor, falar tudo o que ela pensava de forma coerente, conseguindo convencer as pessoas. Por ter sofrido um trauma cerebral, escolheu trabalhar como tatuadora, algo mais tranquilo, já que desenhava bem, e nas horas vagas, ajudava Nyx na área de controle dos computadores da Audácia. Muitos dizem que ela ainda é só uma pirralha. Estão muito enganados. Apesar do tamanho e do rosto angelical com traços doces e meigos, Charlie não está para brincadeiras. É séria na maior parte do tempo, mas tem uma risada gostosa de se ouvir, seu humor é bastante variado, normalmente ela aparenta ser o tipo de adolescente que não se importa com nada, quando na verdade ela apenas observa, examinando o ponto forte e principalmente, o ponto fraco das pessoas. Calada e arrebatadoramente ameaçadora quando quer, se dedica aos estudos, é autodidata – ou seja, aprendeu tudo o que sabe sozinha, sem a ajuda de professores ou adultos, desde a ler e escrever seu nome à fazer cálculos matemáticos extremamente complexos, ela sabe mentir com facilidade e detecta quando alguém tenta mentir para ela. Charlie é linda, fisicamente muito parecida com a mãe e com a irmã mais velha, e assim como Amber, a garota é cabeça dura e nunca dá o braço a torcer. Teimosa, orgulhosa, irritadiça, irônica, cínica, perfeccionista, marota, uma bomba relógio. Mas, é também meiga, confusa e tímida. Diferente de todas as garotas da sua idade, Charlie na verdade, quer fazer amigos, cansou-se da vida reclusa que levava e quer conhecer o mundo, estreitar relações e quem sabe, até dar seu primeiro beijo, já que esse tipo de experiência ela nunca teve. Resumindo: ela quer viver os anos que lhe foram retirados enquanto viveu na Franqueza.


ps.: nossa, foi mal, ficou uma droga, eu sei ç__ç

JESS @ OOPS!

avatar
Charlie Donovan
Audácia
Audácia

Mensagens : 6
Data de inscrição : 07/04/2013
Localização : Complexo da Audácia, Chicago

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Donovan, Charlie - Audácia

Mensagem por Charlotte V. Poynter em Seg Abr 15, 2013 7:32 pm

Ficha aceita,adorei a personagem ><
avatar
Charlotte V. Poynter
Audácia
Audácia

Mensagens : 89
Data de inscrição : 03/01/2013
Idade : 22

Ver perfil do usuário http://yourfamouslast-words.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum